HITSENSE

Empresa: MAXTRACK
max

MOTIVAÇÕES E OBJETIVOS DO PROJETO:

Devido aos avanços na conectividade de rede e à proliferação de dispositivos da Internet das Coisas (IoT), o número veículos terrestres equipados com dispositivos capazes de responder às variações do ambiente externo aumentou significativamente nos últimos anos. Se por um lado, uma rede de veículos equipados com sensores fornece informações telemétricas em tempo real, por outro lado, o número de informações obtidas em um curto espaço de tempo pode facilmente alcançar a ordem de milhões, impossibilitando a análise humana individual de todos os veículos.

Existe atualmente na MAXTRACK, uma empresa que desenvolve uma plataforma de Internet das Coisas (IoT), a necessidade de criação e implementação de soluções para problemas dentro do contexto de análise sensorial de dados de modo a incorporar métodos automáticos para o processamento de dados sensoriais coletados por rastreadores fixados em veículos automotores. A ideia gira em torno de identificar os acontecimentos preliminares ao evento anômalo, como por exemplo uma colisão, de tal forma que possam contribuir para uma restituição parcial ou completa do fenômeno.

Nesse projeto, nosso foco foi a pesquisa e o desenvolvimento de soluções dentro do escopo de sensor analytics com o intuito de detectar e classificar colisões em veículos, considerando a magnitude e o sentido da força do impacto. Tais soluções atuarão como filtros em uma plataforma de sensor analytics visando a geração de informações que podem ser utilizadas para a compreensão dos acontecimentos preliminares à eventos atípicos, como uma colisão, a fim de corroborar com a reconstituição parcial ou plena do episódio.

hitsense.png

Figura 1 Ilustração dos dois momentos em que os dados serão processados na solução. 1) Processamento embarcado e 2) Análise complexa na Plataforma Maxtrack.

O objetivo da solução de monitoramento sensorial foi detectar eventos que possuam alta probabilidade de apresentarem alguma espécie de anomalia, oriunda de comportamentos insólitos dos veículos, permitindo posterior perícia dos mesmos e fiscalização de seus respectivos condutores.

Pesquisadores envolvidos nesse projeto: Rafael Henrique Vareto e William Robson Schwartz